O Que Não Pode Ser Medido Não Pode Ser Melhorado

Na maioria das vezes, quando uma empresa tem um bom desempenho no mercado, seus gerentes afirmam que a razão para isso é a sua boa administração, isto é, eles são os responsáveis pelo sucesso. Por outro lado, quando o desempenho não é bom a maioria deles culpa fatores externos, como governo, impostos, concorrência desleal, baixa demanda, mão de obra desqualificada. Etc…

Uma análise mais apurada dos indicadores deste bom ou fraco desempenho no mercado nos mostrarão as causas reais destes resultados.

“Para medir o calor do dia, olhe o comprimento do gato que dorme”.

Os motivos do sucesso ou do fracasso de uma organização devem sempre ser estudados e utilizados para corrigir os erros ou repetir os acertos no futuro próximo.
O primeiro passo para isso é pesquisar e entender seus indicadores financeiros, pois, todas as decisões tomadas no gerenciamento da empresa, de uma forma ou de outra, resultarão em seus indicadores.

A execução de relatórios e indicadores financeiros na grande maioria das empresas é função de seu contador designado, que, muitas vezes, pertence a uma organização parceira, isto é, um escritório de contabilidade contratado.

Esse “afastamento” do contador da operação da empresa tem causado um dos principais problemas da gestão empresarial de muitas organizações. A alta direção não interpreta e, portanto, não utiliza os indicadores medidos pelos contadores para tomada de decisões na administração das empresas. Muitas vezes o contador é utilizado para “adequar” os números da empresa para condições mais confortáveis…

Para acompanhar a gestão dos recursos, é preciso conhecer os principais indicadores financeiros de uma empresa. Com isso, será muito mais fácil entender a situação de uma organização para, posteriormente, criar estratégias e definir planos de ação para melhorar os resultados no longo prazo.

E que indicadores são estes?
Bom, são vários. Aqui citaremos os 9 principais.

1) Margem Bruta = (Receita – Deduções – Custos Diretos Variáveis) x 100.
2) EBTIDA = Lucro Operacional Líquido + Depreciação + Amortização.
3) Margem liquida = (Lucro Líquido / Vendas) x 100.
4) Custos Fixos e Variáveis = identificação deles.
5) Margem de Contribuição = Preço de Venda – (Custo Variável + Despesa Variável)
6) Ponto de Equilíbrio = Despesas Fixas / Margem de contribuição.
7) Liquidez Corrente = Ativo Circulante / Passivo Circulante.
8) Índice de Cobertura de Juros = EBTIDA / Despesa Juros no Ano.
9) Retorno Sobre Capital Investido = NOPAT / Valor Contábil do Capital Investido.

Conhecendo estes indicadores financeiros, fica claro que, independente do porte do negócio ou o do seu mercado, é essencial para qualquer administrador entende-los profundamente e saber interpretá-los corretamente.

Desta forma conhecer melhor o seu negócio, as suas fraquezas e seus pontos fortes, possibilitando preparar e aplicar o planejamento estratégico adequado em busca de resultados cada vez melhores.

Precisa de ajuda para execução ou interpretação dos indicadores financeiros de seu negócio? Nós da Planeto podemos ajudá-lo.

Possuímos uma equipe de especialistas seniores, cuja experiência em reestruturação e gestão empresarial, nos mais variados tipos de empresa e segmentos de mercado, que poderão trazer muitos benefícios a sua organização.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *